quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O blog como ferramenta de ensino – duas experiências na UEM




Marciano Lopes



No segundo semestre de 2009 realizei juntamente com os alunos de três turmas do curso de Letras da Universidade Estadual de Maringá uma proposta de produção de blogs aliados à prática de seminários. Conforme expus em uma postagem do ano passado, quando iniciava as experiências cujo resultado agora apresento, nas disciplinas de Literatura Brasileira: Poesia, do 2º ano de Letras noturno (habilitações duplas), dividi as turmas em grupos de cinco membros, cabendo a cada um manter um blog cujo tema era o ponto sorteado para o seminário da última avaliação. Além dos blogs dos grupos, criei um gerenciado apenas por mim: Poetas do Brasil (http://poetasdobrasil.arteblog.com.br/). Este blog, que chamei de “blog-mãe”, teve por objetivos:

a) tratar dos poetas da fase colonial até o modernismo (período que deveria ser estudado em classe), ficando o período posterior para eles tratarem nos blogs e nos seminários;
b) servir de portal para acesso aos demais blogs criados pelos alunos, assim funcionando como um portal de entrada para eles – ou também como um “blog-mãe” (em alusão à expressão “nave-mãe”), pois serve como agregador dos demais blogs que a ele se conectam formando uma teia.

Com a terceira turma, da disciplina de Tópicos de Literatura Brasileira, que teve por conteúdo o estudo do conto brasileiro pós 1970, resolvemos fazer um único blog, que foi alimentado por mim e pelos grupos, que também receberam um ponto temático cada um. Trata-se do blog Contos e encontros: http://contosdobrasil.arteblog.com.br/ (imagem do cabeçalho acima, na abertura desta matéria).

No caso da primeira disciplina, Literatura Brasileira: Poesia, o blog Poetas do Brasil serviu para minimizar as inevitáveis e largas lacunas no desenvolvimento do programa devido ao reduzidíssimo tempo de um semestre para estudar toda a poesia brasileira desde o período colonial até a contemporaneidade. As vantagens com relação à avaliação tradicional dividida em prova escrita, artigo e seminário, foram várias, mas antes de tratá-las julgo pertinente começar apontando alguns critérios de avaliação estabelecidos para avaliar a produção dos alunos em seus blogs e que foram fundamentais para garantir a qualidade da produção, a pesquisa contínua sobre o tema (evitando aqueles trabalhos feitos na última hora) e a interatividade (de modo que cada grupo não fique com suas leituras restritas ao seu tema, como acontece nos seminários em geral):

a) frequência mínima de postagem: uma por semana;

b) variedade nos tipos e gêneros textuais assim como nas mídias utilizadas em cada postagem, as quais têm diferentes pesos na avaliação conforme a quantidade de informação agregada à(s) original(is),

c) interatividade entre os grupos: cada grupo deveria visitar os dos outros grupos, o que poderia ser verificado pelo uso da ferramenta "Comentários" ou pela presença marcada em "Visitantes mais recentes". No caso do trabalho coletivo em um único blog, os participantes deveriam interagir através da ferramenta "Comentários" internamente, visitando as postagens dos colegas dos outros grupos.

d) obrigatoriedade no estabelecimento de uma rede de contatos e navegação através das ferramentas “Meus Amigos” e “Links Favoritos” – de tal modo que o visitante possa facilmente circular por todos os blogs produzidos (no caso da disciplina Literatura Brasileira: Poesia, em que cada grupo criou e manteve um blog próprio) e sites afins,

e) obrigatoriedade do uso da ferramenta “Comentários” sem moderação.


DIFICULDADES ENFRENTADAS

O uso dos blogs nas duas disciplinas voltou-se para uma estratégia de ensino alicerçada nas ideias de interatividade, pesquisa e produção críticas, no entanto, implantar esta atitude em um meio e cultura nos quais a reprodução/cópia é a regra, não é tarefa fácil. Apesar do recurso da Internet favorecer a reprodução acrítica de textos alheios, acredito que a exigência de criação de textos próprios, ou seja, com linguagem própria (mesmo que parafraseando as fontes), e a obrigatoriedade de informar o devido crédito e implantar o hiperlink, no caso de fontes existentes no ciberespaço, tenha conduzido os alunos a assumirem uma atitude de maior responsabilidade e respeito, mesmo porque o não cumprimento de tais exigências os coloca numa situação desconfortável e perigosa, visto que qualquer internauta – especialmente os autores dos textos fontes – poderão constatar a atitude anti-ética do plágio no caso deste ocorrer.

Outro problema enfrentado diz respeito à dificuldade de inclusão digital do aluno. Foram muitos que encontraram dificuldade no desenvolvimento da proposta por não terem computador em casa ou por não tê-lo conectado à Internet. A saída encontrada foi a de reunirem-se os membros de cada grupo periodicamente na casa de quem tivesse computador conectado à internet (especialmente na daqueles em que a conexão é ADSL) e de distribuir as atividade de edição levando isso em consideração, de modo que àqueles que não tinham o acesso caseiro à internet fizessem atividade tais como pesquisa em fontes bibliográticas, escritura e revisão dos textos.
Na condição de professor, o maior problema enfrentado foi a falta de tempo e condições físicas para acompanhar a produção de todos os blogs – um de Tópicos de Literatura Brasileira e doze de Literatura Brasileira: Poesia) e ainda produzir em dois blogs. Até metade do período da experiência conseguia acompanhar revisando as postagens e deixando comentários com indicações de problemas de redação ou diagramação a serem corrigidos, críticas, dicas e sugestões, porém isso foi se tornando cada vez mais difícil na medida em que os alunos iam pegando prática e gosto na execução do trabalho, passando a produzirem em maior escala. Para resolver este problema de controle da qualidade final das postagens, solicitei no término do semestre que cada grupo imprimisse suas postagens para que eu as lesse e corrigi-se. Feito isso, eram devolvidas para que fizessem as correções nas postagens e depois reimprimissem novamente para entrega do trabalho final contendo: uma introdução apresentando a proposta pedagógica e do blog em questão e uma conclusão apresentando os aspectos positivos e negativos da experiência.


ASPECTOS POSITIVOS

Salvo os problemas acima apontados, foram vários os aspectos positivos da estratégia, destacando-se:

a) A melhor qualidade dos seminários ao final da disciplina, uma vez que os alunos eram obrigados a estar continuamente em contato com os conteúdos dos mesmos, pesquisando-os e reelaborando-os para a realização das postagens semanais. Com tal estratégia evitou-se em grande medida a prática comum dos alunos prepararem o seminário “na última hora”, o que regra geral resulta em um desastre devido à falta de reflexão e debate entre os pares do grupo sobre o material pesquisado.

b) A prática de produção de outros gêneros textuais além daqueles tipicamente acadêmicos (tais como resenhas, artigos e monografias) e o desenvolvimento da consciência de que ao se escrever deve-se ter em mente o público-alvo e o suporte da publicação, de modo a adequar não somente a linguagem como também o gênero textual aos mesmos. Em outras palavras, por se tratar da produção de blogs que funcionam como revistas on-line, os alunos deixaram de escrever para o professor (como é a prática recorrente) e foram levados a refletir sobre a necessidade de utilizar outras linguagens além da acadêmica e de adequá-las – assim como a estruturação e diagramação textual – ao público leitor e ao espaço da tela, que é diferente do espaço de uma revista impressa ou mais ainda de um livro. Aos poucos, eles foram percebendo a necessidade de formularem textos com uma linguagem mais coloquial (sem abrir mão da correção gramatical), com menor extensão, com imagens e/ou outros recursos midiáticos (tais como arquivos de som ou vídeo) de forma a torná-los mais atraentes/sedutores e de compreensão facilitada a um público leigo no assunto.

c) A melhor circulação dos conteúdos dos seminários de cada grupo entre todos os alunos das turmas, posto que houvesse como um dos critérios de avaliação a obrigatoriedade de cada grupo visitar os blogs dos colegas e deixar comentários com sugestões, críticas, ou mesmo perguntas e divergências. Essa estratégia, além da possível curiosidade dos alunos em conhecer e acompanhar os blogs dos demais colegas, minimiza a prática recorrente dos grupos ficarem restritos ao estudo e à recepção dos conteúdos do seu seminário. Como todo professor sabe, é comum que os alunos não prestem muita atenção à apresentação dos seminários dos demais, uma vez preocupados na apresentação do seu, que é feita para o professor, e não para os colegas. E como a apresentação do seminário é apenas um momento no desenrolar do curso, a aquisição dos conteúdos tratados neles fica por demais prejudicada. Entretanto, com a prática de visitas aos blogs dos outros grupos, a transmissão e troca dos conteúdos desenvolvidos entre os pares não fica restrita ao momento do seminário.

d) O desenvolvimento do espírito de equipe, uma vez que a produção dos blogs, sendo similar a de uma revista, leva-os a perceber importância e a necessidade de divisão do trabalho em diversas fases/atividades do trabalho de edição (tais como pesquisa, redação, revisão e diagramação).

e) A valorização do trabalho escolar, que deixa de ter um fim em si mesmo. Com isso, o trabalho não se esgota na sua entrega ou realização com vistas apenas à avaliação, pois o aluno deixa de realizar o trabalho para o professor e para a obtenção de uma nota, passando a escrever para um público leitor real. Além desse aspecto positivo, o resultado final permanece disponível a todo internauta, podendo servir aos professores de língua e literatura (ou outras artes) como apoio didático.

f) Maior interatividade entre professor e aluno, que deixa a atitude passiva e passa a produzir conhecimento, contribuindo para o curso durante todo o tempo, e não apenas nos momentos de seminário ou nas raras contribuições em sala, posto que são poucos que intervém com perguntas, comentários, discussões etc. – até porque muitos que gostariam de fazê-lo às vezes não o fazem devido à rejeição que poderão sofrer de alguns colegas. Em várias ocasiões aproveitei as postagens de alguns grupos para o desenvolvimento de aulas, trabalhando com a leitura e discussão de textos artísticos e críticos feitas por eles – o que, às vezes, levava-os a refazerem suas postagens ou mesmo a fazerem novas postagens sobre o assunto ou texto em discussão. Isso aconteceu de forma muito interessante e intensa na disciplina de Tópicos de Literatura Brasileira, em que a discussão inicial sobre o conto “Botão de Rosa”, de Murilo Rubião, feita com base em uma postagem do grupo que estava pesquisando sobre o conto fantástico, levou o mesmo a produzir mais três, aproveitando na redação dos novos textos as discussões realizadas em classe, incorporando opiniões, leituras e informações feitas pelo professor ou por colegas. Com essa prática, se rompe a unidirecionalidade do ensino bancário favorecendo ao aluno vivenciar a construção do conhecimento como um processo vivo, dinâmico e dialógico.


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como pode-se ver, a experiência realizada contemplou o uso dos blogs tanto como recurso assim como estratégia, conforme propõe Maria João Gomes (2005) e António Marcelino Lopes em estudo conjunto com ela - conforme apresentado na postagem anterior sobre "O blog como ferramento de ensino - problemas e proposições" e especialmente na postagem "O uso de blogs no ensino de literatura e redação", de setembro de 2009 . Aliás, acredito ter dado um passo além das proposições da pesquisadora portuguesa na medida em que se conciliou num mesmo blog as duas possibilidades de ação ao mesmo tempo em que se superou o uso deste como um portfólio por parte dos alunos.

Por fim, é importante informar que a relação dos temas desenvolvidos nos seminários da disciplina de Literatura Brasileira: Poesia – assim como o URL de cada blog produzido – encontra-se na página de descrição do blog-mãe Poetas do Brasil: http://poetasdobrasil.arteblog.com.br/p/profil. Também é possível acessarmos estes blogs através da relação dos “Favoritos” no menu do blog-mãe. Apesar de todos apresentarem um resultado final satisfatório, gostaria de destacar os três que considero os melhores devido à excelência alcançada e o perfil voltado para uma educação étnico-racial:

54 comentários:

  1. Todo o trabalho desenvolvido exigiu dos alunos um aprofundamento de conteúdo. O acompanahmento das atividades postadas e o seminário final visavam eliminar a cópia pela cópia citada pelo professor Márcio no primeiro texto: Ambientes virtuais de aprendizagem.

    ResponderExcluir
  2. Esse projeto com os blogs do professor Marciano foi muito interessante pelo envolvimento dos alunos que, apesar das dificuldades enfrentadas sairam-se bem.

    ResponderExcluir
  3. Os recursos didáticos possibilitado pelas novas tecnologias ao ensino aumentam as formas de comunicação e interação. E os BLOGS, pelo que aprendi no curso "Leitura e escrita em blogs", certamente, podem contribuir neste sentido.
    O impacto das novas tecnologias na vida cotidiana e na sociedade é cada vez mais evidente e só passa hoje despercebido para aqueles que tentam fugir aos temores do desconhecido desta nova aventura. Mas mesmo entre os que reconhecem a sua importância, em geral sua observação se restringe mais às características quantitativas do processo em curso (o número de pessoas e máquinas envolvidas, a ampliação da abrangência de suas atividades, seu caráter global, os valores econômicos envolvidos, etc.)do que as características e dinâmicas específicas que estas novas tecnologias implementam ao nível de nosso processo cognitivo e da própria prática educativa.
    Os recuros tecnológicos atuais, entre eles a Internet, desencadearam novas formas de ler, de escrever e, portanto, de pensar e agir. Assim, o processo educativo pressupõe uma nova forma de possibilitar a construção e a elaboração do conhecimento diferente do tradicional, a partir de características específicas das novas tecologias.

    LUCIMARA GUIZELLINI

    ResponderExcluir
  4. A forma como o projeto dos blogs foi desenvolvido é muito interessante. O relato dos problemas que apareceram e as soluções encontradas mostram que não é fácil utilizar-se de ferramentas novas na educação, mas que também não é impossível. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. O trabalho com a produção de blogs é muito interessante, entre outras vantagens proporciona maior interatividade entre os alunos envolvidos, promovendo de forma dinâmica a construção do saber que no resultado final sobrepõe as dificuldades encontradas.
    Abraços: Izabel Reino

    ResponderExcluir
  6. Leitores, por favor, desculpem-me! Cliquei no link errado. O que escrevi aqui refere-se ao "BLOG como ferramenta de ensino-problema e proposições".

    LUCIMARA GUIZELLINI

    ResponderExcluir
  7. O curso foi de grande contribuição , nos coloca a par desta ferramenta, pois estamos vivendo num mundo repleto de tecnologias e não tem como negar .Os textos são muito bons, houve esclarecimentos sobre o blog como estratégia, o aluno se envolve com os conteúdos de forma atraente, surgindo muitas dinâmicas. Gostei mesmo!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Interessante o trabalho do profesor, evidentemente devemos de considerar que computador e conexão internet não é acessível a todos, dai a imporância de saber direccionar atividades para não constranger os educandos.

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito da forma como foi desenvolvido o trabalho dos alunos no blog, e fico contente em saber que o que tanto temia ocorreu já nesta experiência que é o fato de nem todos os alunos terem computador em suas casas, como desenvolver essa interação. O espírito de equipe torna-se fundamental e interessantíssimo pois, valoriza principalmente a aprendizagem do conteúdo exigido, cobrado pelo professor. A reprodução de ideias também me preocupa mas vejo que inerente a todos que farão o blog e tentarão umanova forma de ensino-aprendizagem, o fundamental neste momento é melhorar a qualidade do ensino em sala de aula. Eliane Marina Tirapelle Brasil.

    ResponderExcluir
  11. O trabalho com blog é uma boa estratégia, um meio de interatividade, possibilitando que as atividades, produções e seminários não fique com o conteúdo restrito a um pequeno grupo. As dificuldades existem, como em qualquer outra estratégia, principalmente por ser algo novo, desconhecido por alguns professores e alunos que não tem acesso a rede. Por meio de seu relato do trabalho com os alunos da UEM observamos que os pontos positivos superaram os negativos, o que já valeu a tentativa. O uso de blog é mais um recurso de mudança em nossas estratégias na educação, os resultados podem ser melhores quando os ajustes forem feitos em cada etapa que se julgue necessário.
    Nelei Bosquê Contieri

    ResponderExcluir
  12. Olá a todos!

    É muito interessante notar como a proposta de utilização de blogs na escola acabou sendo assimilada positivamente por todos os que comentam. Sem dúvida, trata-se de um indício importante da relevância do tema, seja em termos de ferramenta, seja em termos de estratégia de ensino. Porém, cabe destacar comentários como os da Lucimara e da Juana, por exemplo: as condições nem sempre são totalmente favoráveis para uma implementação eficiente. Por vezes, falta-nos equipamento, por vezes o problema é a conexão. Ou seja, não se trata apenas de nossa capacitação.

    Grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
  13. Olá colegas e professores
    Foi um grande prazer ter participado do encontro e saber mais sobre o uso do blog para nos ajudar a despertar o interesse dos alunos pela leitura.
    MAs não podemos nos esquecer que o professor é a peça chave para o sucesso das atividades direcionadas através do blog.
    Gde abraço a todos.
    Nelly Trevisa Assaiante

    ResponderExcluir
  14. A dificuldade de inclusão digital pelo aluno dificulta a execução de um projeto como esse, porém não o impossibilita,taí a sua experiência. O que mais me chamou a atenção na sua proposta de blogs foi a possibilidade de interação entre os alunos,além da pesquisa e da produção escrita.

    ResponderExcluir
  15. Se entendemos que aprendizagem se dá atrvés da interação, o ciberespaço pode viabilizar e facilitar o nosso trabalho enquanto professores, já que essa interação se concretiza e se constrói com a participação efetiva dos participantes de um blog.

    "todo elemento de informação encontra-se em contato virtual com todos e com cada um" Pierre Levy

    ResponderExcluir
  16. Muito interessante seu trabalho, professor. o objetivo maior do educador é levar o máximo de informação a seus alunos e conseguir que tenham o interesse, se não, a necessidade de adquirir conhecimento. Em trabalhos como este, no qual a interação e a pesquisa estão fortemente associados, levam à motivação e ao resultado satisfatório. É claro que nem todos tem acesso, como citaram algumas colegas, mas não devemos subestimar nosso aluno.Devemos tentar, atiçá-lo e ver no que vai dar. Eu vou tentar.

    ResponderExcluir
  17. Olá
    O recurso tecnológico dos blogs possibilita uma elaboração do conhecimento, o que o torna interessante mas complexo.Entretanto temos que nos aperfeiçoar na construção dessa dinâmica e superar as dificulddes que encontramos.Temos que nos encorajar.

    ResponderExcluir
  18. Pois é,
    Fico pensando como será a participação de nossos alunos da rede pública de ensino que moram na região perférica da cidade, se terão condições de participarem efetivamente e aprender com essa ferramenta. Será fantástico se conseguirmos motivá-los para essa atividade!

    ResponderExcluir
  19. Achei interessante o blog do prof. Marciano feito junto com os alunos ,apesar de algumas dificuldades encontradas o resultado final foi um sucesso.
    Será muito interessante se nós professores usar esse recurso, pois o ensino e aprendizagem será gratificante.

    ResponderExcluir
  20. Olá
    Muito pertinente a experiência do professor, com o uso do blog como instrumento de avaliação. Claro que certamente foi um desafio para ele e para seus alunos, pois tudo o que colocamos no ciberespasço fica conectado ao mundo e só de pensar nisso dá um certo receio do que se escreve. Algumas avaliações só o professor e o aluno ficam sabendo e derepente, abre-se o trabalho para todos com certeza é uma grande experiência. Parabéns pela iniciativa, como também pela coragem.

    ResponderExcluir
  21. O Blog é uma ferramenta que oportuniza os cidadãos a comunicar-se, trocar informações e experiência, tornando o estudo mais criativo.
    É preciso que os profissionais da educação fiquem atentos a essas evoluções tecnológicas.

    ResponderExcluir
  22. Gostei muito de ter participado do curso sobre o “BLOG”, pois me acrescentou bastante. Como foi citado nas experiências acima, uma grande interação entre o professor e o aluno, enriquecendo o mesmo. Infelizmente ainda hoje,nem todos tem acesso à internet e ao computador,sendo assim, ficando prejudicada a aprendizagem desse aluno.

    ResponderExcluir
  23. Olá a todos!

    Um ponto importante a respeito da experiência de sucesso do professor Marciano merece ser ressaltada: o aspecto trabalhoso da proposta. Seguir de maneira efetiva cada um dos blogs e interagir de modo eficiente com cada um deles demanda tempo e apenas se torna viável quando o professor possui familiaridade com o meio e o recurso (como era, felizmente, o caso do professor Marciano). Daí a importância de pensar o blog como ferramenta de ensino a partir de uma maior compreensão da cibercultura como um todo. Para nossa alegria, o tom dos comentários mostra que todos perceberam isso muito bem.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  24. Maravilhosa a proposta do professor Marciano, fazer com que nossos alunos se tornem autores e não só copiadores, como acontece muitas vezes, quando propomos um trabalho envolvendo diretamente o uso da Internet é muito importante. Gostei da observação feita quanto ao tempo disponível para tal proposta, nós da rede pública necessitamos de mais hora-atividades para conseguirmos tal feito. Parabenizo o professor e espero um dia conseguir também realizar com sucesso essa atividade!

    ResponderExcluir
  25. Parabéns pela proposta Professor Marciano. Tentei fazer um Blog com alunos da Rede Pública e a maior dificuldade foi o acesso a Internet.

    ResponderExcluir
  26. Professor Marciano, Parabéns!

    Admiro suas ideias sempre inovadoras!

    Sucesso!

    Beijos,

    Laura

    ResponderExcluir
  27. Hoje estamos num mundo onde não basta só nos apropriarmos do conhecimento se não soubermos repassá-los com criatividade. Reinventar maneiras de aquisição do saber através do uso das tecnologias,poderá,e já está proporcionando,parcerias bem sucedidas entre professor,conteúdos e alunos, como essa experiência compartilhada.Usar o blog para desenvolver conteúdos foi uma grande ideia.Parabéns Professor Marciano.

    ResponderExcluir
  28. Os projetos realizados pelo Professor Marciano, a revista atividade e o blog revistas outras palavras, para nós professores da educação básica é uma inclusão na cibercultura pois através do conhecimento que o professor Marciano nos passou no curso do dia 05/10/2010 possibilitou uma vivencia desses trabalhos, dando direção para que através da revista eletrônica e dos blogs possamos ter um maior envolvimento dos alunos nas práticas escolares, como vem comprovar os trabalhos realizados pelo professor Marciano.
    Gostei muito e gostaria de ter uma continuidade nesse curso.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  29. O Blog é uma ferramenta que nos dá a possibilidade de recorrer a um novo método para aplicar o ensino-aprendizagem e isso é muito bom. Acredito que com esse novo canal de comunicação nos profissionais da educação poderemos também fazer trocas de experiências entre nós e poder tornar o processo educativo mais dinâmico e educativo.

    Abraço.
    Professor Ademir Carlos Ziolli

    ResponderExcluir
  30. Achei muito interessante o seu trabalho, professor Marciano. Notei que os benefícios alcançados superaram as dificuldades encontradas. Foi uma grande oportunidade para que os alunos pudessem participar de forma interativa e compartilhada.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Boa noite!

    Estou feliz em ter participado do Curso de "Leitura e Escrita em blogs" (dia 28 set) e ter percebido o quanto são válidas essas tecnologias para o avanço da educação, aproveitando a destreza e gosto da clientela estudantil atual. Um dos principais pontos positivos que encontrei ao ler o texto do professor Marciano, é que ocorre verdadeiramente a leitura para aprendizagem e a formação de conceitos, pois há que se pesquisar para postar, há que se ler para comentar.

    Trabalho com a disciplina de Filosofia no Ensino Médio e, após estas experiências relatadas, vejo no blog uma excelente maneira em preparar um alunado leitor, crítico, reflexivo, sabedor do conteúdo em questão, devendo ocorrer, assim, reflexos positivos na avaliação, uma vez que semanalmente o aluno posta comentários, ampliando gradativamente seu conhecimento científico, ou seja, saindo do imediato para o mediato, num processo dialético.

    Preciso agora, melhorar minha inclusão digital para estar iniciando este processo de interação em blogs e auxiliar eficazmente as turmas no processo de ensino e de aprendizagem, tornando-se esta ferramenta, uma prática cotidiana.

    Um abraço
    Cristina M. B. Teixeira

    ResponderExcluir
  33. Olá professor Marciano, achei muito enriquecedoras as suas experiências, acho que o uso dos blogs faz com que uma das maiores dificuldades nossas seja diminuida, fazer com que os alunos leiam e escrevam.
    Ivone Dalloca

    ResponderExcluir
  34. Professor Marciano, foi muito bom saber sobre suas experiências em blogs, pois enriqueceu o meu conhecimento com suas ilustrações e pretendo por em pratica o que aprendi.
    Janete

    ResponderExcluir
  35. Professor Marciano, conhecer suas experiências foi muito prazeroso, pois apesar delas terem sido realizadas com alunos do ensino superior que têm uma maior responsabilidade, nos mostra através de seus pontos positivos, que na minha opinião são bem mais relevantes, e uma vez feitas as adaptações curriculares necessárias podemos repetir essa experiência tanto no ensino médio quanto no fundamental. O que me dá vontade de tentar.
    Abraços
    Lucimara

    ResponderExcluir
  36. Professor Marciano,partilhar experiências é vivenciá-las novamente.
    O Blog é a prova disso, pois é uma ferramenta de ensino que desperta as potencialidades da comunicação e da interação entre os indivíduos.

    ResponderExcluir
  37. Acho que os Ambientes Virtuais de Aprendizagem, dinamizam o ensino tradicional.Olhando a nossa realidade, percebo que estes recursos serão inseridos às práticas pedagógicas de forma lenta e gradual, ou seja, quando o professor sentir-se seguro para estas inovações.

    ResponderExcluir
  38. Constata-se uma viagem cibernética fantástica através de blogs, pois os fins compensaram os meios em sua estratégia e prática pedagógica.Com certeza, prof. Marciano, você conduziu e reconduziu seus alunos ao mundo encantado da Cibercultura e os fêz críticos-reflexivos fugindo da "mesmice", que vem quedando muitos colegas que não tentam inovar. Você nos deu o caminho e com certeza iremos segui-lo. Beijos!

    ResponderExcluir
  39. Gostei de ter participado do Curso de "Leitura e Escrita em blogs"na turma 3.É sempre crescimento quando ouvimos ou lemos experiências inovadoras que propiciarão a nós professores uma melhor qualidade no ensino.Mais ainda, saber que as coisas não são mesmo fáceis e que quando nos propomos a algo novo estamos correndo riscos,porém se não fizermos isso não vamos caminhar.Foi muito gratificante aprender mais um caminho para enriquecer nosso intelecto e fazer a diferença para o nosso educando.Parabéns pelo trabalho da equipe toda.Muito obrigada.Espero que tenhamos o BLOG 2.

    ResponderExcluir
  40. Olá, achei muito criativo e interessante o trabalho desenvolvido pelo Prof.Marciano no Curso de Letras. Apesar de todas as dificuldades encontradas, acredito que o resultado foi bem maior.

    ResponderExcluir
  41. A forma de trabalhar foi muito interessante e é ainda mais louvável pelos pontos positivos relatados. Interação e criatividade são essenciais na atualidade. Acredito que esse método tenha proporcionado muito crescimento aos seus alunos.

    ResponderExcluir
  42. É importantíssimo para aqueles que pretendem colocar em prática o trabalho com o blog para mediar as aulas de leitura e escrita saber antecipadamente algumas das dificuldades que poderão ser enfrentadas, pois assim, também antecipadamente, já se pode conduzir o trabalho tentando evitá-las.
    Tão importante quanto saber algumas das dificuldades enfrentadas é saber alguns pontos que valeram à pena, podendo-se assim estabelecer objetivos bem definidos a serem atingidos.
    Porém, mais importante que saber os aspectos positivos e as dificuldades encontradas é estabelecer antecipadamente os critérios avaliativos, pois deles vai depender todo o trabalho a ser desenvolvido e a qualidade do mesmo.
    Acredito que exatamente por esse motivo o professor Marciano Lopes tenha destacado, em seu texto, os critérios de avaliação antes das dificuldades enfrentadas e dos aspectos positivos.
    Realmente o professor Marciano Lopes encontrou no espaço cibernético uma excelente forma de resolver o problema da escassez de tempo X quantidade de conteúdos programáticos. Sem dúvida, um exemplo a ser seguido.
    Abraços.
    Marcela

    ResponderExcluir
  43. Muita coragem a sua professor e também um grande comprometimento com a aprendizagem, pois o trabalho com literatura requer tempo para a correção, imagino o trabalho que teve, mas por outro lado o dever cumprido de ter feito com que estes alunos não fizessem cópias e lessem de fato.É muito bom ter grandes mestres, pois estes fazem a diferença. Obrigada pela contribuição.
    Aparecida Soares de Souza

    ResponderExcluir
  44. Com relação ao texto exposto sobre a utilização de blogs como instrumento pedagógico, pude perceber que este como tantos outros instrumentos didáticos apresenta pontos positivos e negativos. Estes podem estar relacionados tanto ao aluno quanto ao professor. No que diz respeito a questão do professor podemos colocar a falta de tempo e as condições físicas como uma destas dificuldades encontradas. Já em relação aos alunos vemos que muitos deles encontram obstacúlos no acesso a ferramenta utilizada que é o computador. Com base nestas experiências e nos seus resultados pude notar que estes são o ponto de partida para que nos professores possamos desenvolver um projeto que se molde a realidade vivenciada pelos alunos e professores no dia-a-dia.

    ResponderExcluir
  45. Achei muito interessante e inovadora esta ideia de criação de blogs com os alunos, envolvendo todos os aconteciemntos por parte deles: as pesquisas, leituras, criações de textos, correção, postagens, leituras e pesquisas nos blogs de seus colegas, enfim, trabalhoso, mas compensador. Trabalhoso tanto por parte dos alunos, como também por parte do professor que os acompanhou.
    E um ponto que achei muito positivo é que os alunos já vêm se preparando e se envolvendo com os conteúdos do seminário final bem antes da data do trabalho a ser apresentado e interagindo não só com o conteúdo de seu grupo, mas dos outros também.
    Profª Eliara Silva Sant'Ana Parro.

    ResponderExcluir
  46. MARIA HELENA NORBIATO DISSE..
    Olá professores!!!
    É muito interessante participar de um trabalho como este e mais interessante foi a experiência do professor com seu trabalho de avaliação através de blogs ,pois os alunos mostraram domínio do conteúdo e interagiram com os colegas,professores e outros interessados neste maravilhoso projeto.Como é bom saber que podemos contar com as tecnologias a nosso favor e que tem muitos professores criativos.PARABÉNS!!!
    É

    ResponderExcluir
  47. Muito bacana o relato dessa experiência, especialmente por trazer os pontos de dificuldade, o que não deu certo.Mais que isso, o "chute na pedra no meio do caminho" e a continuidade com saldo positivo. Isso faz com que eu possa me venturar nessa seara sem medo, afinal, errar é permitido! Acertar o erro, indispensável!
    Profª Leo

    ResponderExcluir
  48. Realmente é uma maneira de interagir com os educandos de uma forma inovadora, fazendo que eles pesquisem com isso leiam, fazendo assim uma prática ja meio adormecida e enfraquecida tornar-se relevante e animadora como o ler e escrever. Achei muito interessante apesar de não ser tão fácil, mas sei que foi realmente uma expreriencia válida para todos.
    abraços.
    Delma

    ResponderExcluir
  49. Neste trabalho houve uma exigência dos alunos um aprofundamento de conteúdo e a forma que foi desenvolvido foi interessante, pois
    atividades foram postadas; o seminário final visavam eliminar a cópia pela cópia; o relato dos problemas que apareceram e as soluções encontradas mostram que é complicado utilizar-se de ferramentas novas na educação pública, mas também não é impossível. Basta ter força e vontade.

    26 de setembro de 2010 16:

    ResponderExcluir
  50. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  51. Essa é mais uma tentativa do uso da linguagem atendendo as exigências dos tempos pós-moderno. Trata-se de um recurso didático interessante,dialógico, dinâmico, lúdico, interativo, cuja mediação do professor é essencial para que o aluno possa atingir melhoria quer na reflexão da leitura ou da sua escrita.No entanto, remetendo essa metodologia à realidade de escola pública do ensino fundamental nos faz lembrar que os computadores existentes são poucos, muitos estragados e sem nenhuma assistência técnica. Poucos alunos possuem computadores em casa, o que tornaria o trabalho mais lento, devendo ser realizado somente na escola e em grupos.Isso não significa dizer que o trabalho é inviável, pelo contrário, acredito ser uma porta para a produção de leitura e escrita prazerosa e de qualidade,desde que a escola pública dê condições estruturais para isso, preparando seus profissionais e dando assistência técnica e pedagógica necessária a eles.

    Por isso, esse curso foi um estímulo importante para que a escola pública insira em seus planos de aula atividades que usem da ferramenta blog como uma forma interativa entre aluno, professor e espaço virtual, aguçando a pesquisa, a criatividade, ampliando vocabulário, diversificando a forma de ensinar a língua.
    Nilza Pereira Crepaldi

    ResponderExcluir
  52. Olá Marciano!
    Gostei muito do seu trabalho. Penso que foi muito rica a interatividade com os seus alunos, visto que hoje em dia tudo que é virtual á mais prazeroso para essa nova geração e eles tem mais vontade de aprender.Você também pode agilizar o seu conteúdo, que é vasto e necessita de muita leitura. Parabéns!
    Rosângela Machado

    ResponderExcluir
  53. Professor , parabéns pelo trabalho desenvolvido.
    Suas experiências foram muito significativas para minha prática docente.

    ResponderExcluir
  54. Olá Professor

    Sou da segunda turma do blog.Gostei muito da iniciativa. Acredito que a informática é uma importante ferramenta para o ensino atualmente, pois os nossos alunos pertencem ao mundo virtual. Com certeza se o cotidiano escolar se aproximar do mundo da informática os nossos alunos serão instigados a ter maior interesse ao realizar suas tarefas escolares.

    Um abraço a todos.
    Ilma Apda. Da Costa Walter

    ResponderExcluir